domingo, abril 03, 2011

ZARA

Feliz de quem passou, por entre a mágoa
E as paixões da existência tumultuosa,
Inconsciente, como passa a rosa.
E leve como a sombra sobre a água.

Era-te a vida um sonho, indefinido
E ténue, mas suave e transparente...
Acordaste... sorriste... e vagamente
Continuaste o sonho interrompido.


Antero de Quental

8 Comments:

Blogger manuel marques said...

Somos todos feitos de sonho interrompidos.


Abraço.

12:32 da tarde  
Anonymous Tía Lelé said...

Gracias por tu visita y los buenos deseos.Un abrazo.-

2:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Muito bonito...
Deixo o meu carinho...

Alice

8:55 da tarde  
Blogger Cata- Vento said...

Às vezes a inconsciência facilita a vida.Então nos dias de hoje é mesmo verdade.
Gostei do poema. Desconhecia-o .

Bem-hajas!

Beijinho

10:46 da tarde  
Blogger AFRICA EM POESIA said...

lindo poema

escrito por quem sabe...
um beijinho e vou voltar

12:08 da manhã  
Blogger Ana said...

Porque só pelo sonho é que vamos!
Um beijo *

1:37 da manhã  
Blogger ...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... said...

Os verdadeiros poetas são inigualáveis!

Agradeço a visita e gostei muito do que li por aqui...voltarei...com certeza!

Meu abraço amigo!

Sonia Regina

3:48 da manhã  
Anonymous lusibero said...

Manuel: ...e os nossos sonhos não são, quase sempre, abruptamente interrompidos? Daí a descrença de ANTERO de QUENTAL na vida, O "tal palácio de cristal" onde não estava nada, quando ele lá chegou...
Beijo
Mª ELISA

3:04 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home