sexta-feira, abril 01, 2011

DEGREDO

Naquele branco navio
Que ao longe parece fumo,
Que as ondas do mar salgado
Parecem deixar sem rumo,
Sou eu quem vai embarcado,
Província! minha província
Como agora me lembrais!
Cheiro da terra molhada
Resina dos pinheirais!
Província! Minha província!
Arga! Bonança! Peneda!
Formariz e Portuzelo!
Abelheira e Pomarchão!
Ai Ponte de Mantelais!
Aldeia de Verdoejo!
Ai S. Miguel de Frontoura!
Friestas! Paçô! Venade!
Vilar de Moiros! Carreço!
Santa Cristina de Afife!
E lá no fundo Cabanas...
Rio Minho! Rio Coura!
Rio de Ponte do Lima!
Rio de Ponte da Barca!
(O mar começa em Vi-Ana...)
Ai! a Torre de Quintela
Mai-la da Glória! Bretiandos!
Ai o paço do Cardido!
Nossa Senhora de Aurora!
Alminhas de Além da Ponte!
Ai Cruzeiro da Matança!
Ai! as árvores da Gelfa!
Bruxarias e ladrões...
Certa mão branca nos muros...
Vozes na casa deserta...
Ai! o vento! A noite! o medo!
E a madrugada! E os poentes?
E as rusgas? E as romarias?
Mocidade! Mocidade!
Capelinha de S. Bento!
Carreirnhos ao luar...
(Por quantos deles não vão
Os homens à perdição
Que logo à morte vai dar?)
Ai! leiras de milho alto!
Videiras! Ai videirinhas!
Canções na pisa do vinho!
Toadilhas de aboiar!
Esfolhadas! Esfolhadas!
Ai! bailaricos na praia
Pelas cortas do argaço!
Tiranas1 Viras e gotas!
Verde Gaio! Verde Gaio!
Minha vila bréjeira!
Minha harmónica tombada!
Como agora me lembrais!
E aquele pinheiro manso
Ao dar a volta da estrada?
E aqueles beijos contados
Nos dedos daquela mão?
E as ondas do mar baloiçam
Já não sei que embarcação...
E aquele branco navio
Que ao longe parece fumo,
Que as ondas do mar salgado
Parecem deixar sem rumo,
(Aquele branco navio!)
É vida humana. Pecado
Maior do que o mar salgado.
Que o mar, sem ele, é vazio!


Pedro Homem de Melo

8 Comments:

Blogger redonda said...

Não conhecia.
Gostei muito.
Obrigada :)
um beijinho
Gábi

5:06 da tarde  
Blogger Ana Martins said...

Muito bonito, também não conhecia!

Grata pela visita,
Beijinho,
Ana Martins

11:33 da tarde  
Blogger Desnuda said...

Boa noite amigo!


Que maravilha de poema. Pedro Homem de Melo é sempre uma excelente escolha.

Carinhoso beijo e ótimo fim de semana.

11:34 da tarde  
Blogger Raquel Olvera said...

"Pecado
Maior do que o mar salgado.
Que o mar, sem ele, é vazio!"

Gracias Manuel, muy lindo poema.

11:39 da tarde  
Blogger valquiria calado said...

Estou no cais a espera-lo, penso que o barco afundou...ñ o terei.


bjos e bom fds.

12:06 da manhã  
Blogger Olinda Melo said...

Olá, Manuel

Obrigada por lembrar aqui Pedro Homem Melo, de quem não se fala muito.Amália imortalizou alguns dos seus poemas como "Povo que lavas no rio" mas escreveu muitos outros e todos eles com um grande sentido de pertença, como este, por exemplo:

A Pátria não é apenas
Um corpo de bailador.
Não são duas mãos morenas
Nem mesmo um beijo de amor
Mais do que os livros que lemos,
Mais que os amigos que temos,
Mais até que a mocidade,
A Pátria, realidade,
Vive em nós, porque vivemos.

Abraço
Olinda

12:16 da manhã  
Blogger joesio said...

Não sabia eu o quão belíssimo e encantador é este espaço. A partir de hoje serei frequentador assíduo do DE PROPÓSITO.
Parabéns!!!

12:27 da manhã  
Blogger Parapeito said...

sempre bom ler Pedro Homem de Melo
brisas doces`*

9:49 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home