domingo, janeiro 17, 2010

SAUDADE

Saudade é doce engano que alimenta
E a um tempo mina um coração ferido,
Reacende a memória e mata o olvido,
Mal que faz bem, me nutre e me sustenta,

Saudade é doce-amargo que atormenta
Como um remorso de se ter nascido !
Mas quem não desejara ter vivido
E, sentindo-a, morrer de morte lenta ?

Tu serás sempre a íntima e discreta
Confidente do triste e do poeta
Que os contrastes da vida entristeceram.

Parácleto da hora derradeira,
Serás até à morte a companheira
Tutelar dos que amaram e sofreram...

José Lopes

7 Comments:

Blogger MalucaResponsavel said...

Saudade. dói tanto.

8:49 da tarde  
Blogger Desnuda said...

Que bonito. Saudade é tudo isso e como disse a colega: dói!


Linda semana e carinhoso beijo, amigo.

11:48 da tarde  
Blogger Silvana Nunes .'. said...

Belo momento poético.
Saudações Florestais !
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em:
http://www.silnunesprof.blogspot.com

11:00 da manhã  
Blogger Baila sem peso said...

saudade hoje é minha ferida
de um andar tão descontente
ter a noção de estar ferida
sem sangrar estando ausente

beijinho e obrigada pelo soneto
um doce que deixa o sono inquieto

12:39 da manhã  
Blogger Sandra Daniela said...

Saudade... Belo poema! E muito bemdescrito o sentimento que éa Saudade. O sentimento que rói por dentro...


Beijinho

12:10 da tarde  
Blogger Sonia Schmorantz said...

Um doce amargo já disse tudo, porque só temos saudade do que foi bom, mas também dói...
abraço, ótimo fim de semana

3:37 da manhã  
Blogger Sônia Brandão said...

A saudade é uma canção antiga que entra sorrateira pela janela e vem pousar em nós.

Um abraço.

3:53 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home