sexta-feira, maio 11, 2007

FIEL


A balança mais estranha
Onde a vida está à prova
Constantemente, sem fim,
Não é velha nem é nova.

Tem dois pratos invisíveis.
Tudo lá podemos pôr.
O aferidor é __a morte
O seu fiel é __a dor.

Um jogo assim de balança
Compreendê-lo, quem há-de?
_Se de um lado o tempo desce,
Do outro sobe a saudade.

Dinis da Luz

37 Comments:

Anonymous A_Medusa said...

Podes recolher o prémio que te espera no meu blog.
Mereces!
Abraço

11:28 da tarde  
Blogger Luci Lacey said...

Ninguem jamais compreendera.

Abracos

11:40 da tarde  
Blogger serenidade said...

A balança tem de ser equilibrada, para que sejamos fiéis a esta existência, digo eu...

Serenos sorrisos

11:48 da tarde  
Blogger Paula Negrão said...

As rimas dão musicalidade às poesias!
Lindo!

beeijos

12:29 da manhã  
Blogger Brisa do Mar said...

Na balança da vida temos de tentar sempre equilibrar as emoções, mas uma coisa é certa o tempo não para.
Obrigado por teres aparecido, volta sempre que quiseres.
Fica Bem!

2:26 da tarde  
Blogger delusions said...

Sempre a balança a lutar pelo equilíbrio...um pouco como eu...

Adorei não conhecia o poeta.

Bjinhos Manuel. Bom resto de semana

3:20 da tarde  
Blogger Azul said...

La balanza del amor y la desilusión.....hermosa poesía.

Bikos.

8:43 da tarde  
Blogger ** MARÍA ** said...

Gracias por tu visita y por tu comentario en el blog, que lo he ido descifrando poquito a poco...

Siento no poder comentarte el tuyo, no logro entenderlo bien.

Pero con un título como ese, tiene que ser precioso.

Besos,


** MARÍA **

9:12 da tarde  
Blogger tufa tau said...

a nostalgia da existência

9:16 da tarde  
Blogger Jose Gonçalves said...

Meu caro Manuel

Cá estou a visitar-te conforme te prometi, e devo dizer-te que gostei do que vi aqui.
Poema um pouco nostalgico não?
Um abraço e fica bem
Voltarei mais vezes acredita.

José Gonçalves

10:27 da tarde  
Anonymous Daise said...

Estava eu a navegar nesse grande mar virtual e vim parar por aqui. Adorei a sensiblidade que encontrei neste blog. Parabéns pelo belo cantinho que tens.
Abraços

12:40 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

UMA MÃO CHEIA DE CHAPLIN
DE 23 A 31 DE MAIO 2007
NO JARDIM REPÚBLICA EM ALMEIRIM


Este ciclo de cinema planificado para ser exibido ao ar-livre é organizada pela Câmara Municipal de Almeirim e tem a sua programação assinada pela Círculo Solar- Maternidade de Ideias.

Inteiramente dedicado ao génio de Charlie Chaplin os cinco filmes que enchem esta mão, demonstram bem talento do autor-total. Todos os filme apresentados são realizados, musicados, interpretados pelo próprio Chaplin.

O Jardim República, fica no centro de Almeirim. Charlie Chaplin justifica a viagem e Almeirim vale a visita.

A entrada é livre.


PROGRAMAÇÃO

SESSÃO DE ABERTURA - Quarta-feira 23 de Maio 2007, 21:30h
* O Miúdo – 68' – 1921 – filme mudo

Quinta-feira, 24 de Maio 2007, 21:30h
* A quimera do Ouro – 92'–1925 – filme mudo

Sábado, 26 de Maio 2007 , 21:30
*O Circo – 96' - 1928 – filme mudo

Quarta-feira 30 de Maio 2007, 21:30
*Tempos modernos – 83' - 1936 – filme mudo

SESSÃO DE ENCERRAMENTO, Quinta-feira, 31 de Maio 2007, 21:30h
* O Grande Ditador – 120' – 1940 – filme sonoro

12:48 da manhã  
Blogger Isabel said...

Passeando por estes espaços deparei-me com um poema que vai de encontro ao meu actual estado de espírito a melancolia, a saudade; enfim, a emoção à flor da pele.

Bjt

1:02 da manhã  
Blogger Dalva said...

Bonito...

1:09 da manhã  
Blogger María Elena Ponce said...

Un hermozo poema poeta
un gusto conocer tu blogg

María Elena

2:56 da manhã  
Blogger elsa nyny said...

No equilibrio reside a ess~encia!
:)

7:20 da manhã  
Blogger joão oliveira said...

bons poemas para nós
bom fim de semana

10:13 da manhã  
Blogger Carracinha linda! said...

A balança...

O equilibrio...

Nem sempre é fácil atingi-lo...


Bjs

10:29 da manhã  
Blogger Maria P. said...

O equilibrio, tão difícil de atingir.

Gostei desta leitura.
Beijinho*

11:03 da manhã  
Anonymous Secreta said...

Uma balança que ora pende para um lado , ora pende para o outro...

11:46 da manhã  
Anonymous pequenita said...

A menor distância
entre dois pontos
está na conjunção
de nossos corpos
que se atraem na razão inversa
da razão e do verso.

Bom fim de semana :o)

12:10 da tarde  
Blogger Cris said...

Gracioso e equilibrado, gostei muito! Beijinhos e Bom Wk

Cris

3:00 da tarde  
Blogger Vera said...

E é tão difícil por vezes conseguir o equilíbrio!

Mil beijinhos

4:22 da tarde  
Blogger Professorinha said...

Equilíbrio é muto complicado... passamos a vida a tentar encontrá-lo e frustrados por não conseguirmos...

Fica bem :)

11:17 da tarde  
Blogger Freyja said...

Manuel
porque sera asi?, estar a prueba constantemente
pero es asi, solo hay que saber tener buen equilibrio en todo
te dejo muchos cariños y deseo que este muy bien amigo
que sea un lindo fin de semana
besitos y mi abrazo


besos y sueños

11:56 da tarde  
Blogger TAU TAU TUFA said...

a balança e a vida na procura de um equilíbrio constante.
beijinhos

8:04 da manhã  
Anonymous olha_por_mim said...

Olá!!!!
Passei para te desejar um óptimo fim de semana...
Beijocas

10:53 da manhã  
Blogger Juℓi Ribeiro said...

Manuel:

Estamos sempre em busca
do equilibrio...
E nem sempre encontramos.
Parabéns pela maguinífica
coletânea de poesias.
Um abraço.*Juli*

11:35 da manhã  
Blogger Candela said...

De outro lado sobe a saudade... e o tempo se vai como água entre os dedos.

Que formoso, que melancolico.

Deberiamos saber empregar mais este tempo dado, talvez?

Com carinho

1:34 da tarde  
Blogger pin gente said...

Há um "meme" para ti no meu blog. queres lá ir ver? podes dar seguimento se quiseres...
abraço
pingente

3:23 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

O ponto de equilíbrio aquele vector tão difícil de atingir.
Votos de um óptimo fim-de-semana
Bjs Zita

8:00 da tarde  
Blogger pin gente said...

nunca é fácil nomear... foi-me difícil e tentei evitar todos amigos próximos... gosto de poesia e de vir aqui por isso escolhi este blog...
desculpa não responder ao teu mail mas o mail do blog só está a receber.
um abraço
luísa

9:06 da tarde  
Blogger Ogigia said...

Gracias por tu visita y tu comentario. Un beso

9:52 da tarde  
Blogger Saramar said...

Muito bonito este poema.
E suas palavras são certeiras. Essa balança da vida ora nos leva ao bem, ora à saudade.
Talvez para que nos momentos em que estivermos "lá em cima" nos lembremos sempre que haveremos de descer.

beijos

9:30 da tarde  
Blogger Ana said...

Eu compreendo bem...

5:48 da tarde  
Blogger pin gente said...

temos que tentar o equilíbrio
não deixar um prato desça para que o outro suba.

6:40 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

4:06 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home